ARTIGO DO PROF. PAULO FERREIRA – GESTÃO DO TEMPO

Neste artigo o Prof. Paulo Ferreira fala um pouco dessa correria contra o tempo e nunca a favor dele. Tudo fruto dessa centralização, temos que aprender que liderar é despertar no outro a vontade de fazer.

AS EMPRESAS TÊM CADA VEZ MAIS TECNOLOGIAS E
CADA VEZ MENOS TEMPO PARA REALIZAR SUAS ATIVIDADES.

Tempo, tempo, tempo, és o compositor de destinos, como diz Caetano Veloso.

Grande parte deste problema se refere ao planejamento dele e sua percepção estratégica. Gestão do tempo, segundo Fabossi, refere-se à estruturação de um minucioso e detalhado plano, bem como no monitoramento da sua execução, além de envolver autoconhecimento e motivação.

Desta forma, fica claro que não é um manual automatizado, apertou um botão e sai funcionando sozinho, as regras não ocorrem por si só, elas trabalham quando as exercitamos e colocamos em prática.

Quantos profissionais tem uma agenda de prioridades? Se perguntados, tudo é prioridade. Quantas empresas tem um relatório do retrabalho? As lideranças têm conhecimento do que é produzido e que não se alcançou as metas, mas é raro o conhecimento do tempo desperdiçado. Num mundo vastamente automatizado, alguma coisa muito séria está ocorrendo para que alguém não cumpra suas atividades no prazo determinado. Empurrar o barco sozinho é sempre mais demorado que remar juntos.

DIZER NÃO É QUALIDADE PROFISSIONAL. ESTAMOS VIVENDO
A SÍNDROME DO AGRADAR À TODOS.

Graças a grande competitividade no mercado de trabalho, medo do desemprego, o cordão dos puxa-sacos cada vez aumenta mais. Isso tem sido mais conveniente para manter a minha cadeira, agradar a todos, custe o que custar. E está custando caro para as empresas.

Um não contido tem enormes consequências. Dentre elas já vi projetos ficarem pela metade do caminho, a moça deixar de fazer o cafezinho da equipe para ir buscar o lanche do gerente, um produto deixar de embarcar, pois o rapaz da expedição estava envolvido com o estoque.

Não? As pessoas não sabem dizer e nem ouvir não. Qualidade profissional é dizer sim, uma grande mentira. Qualidade profissional é descentralizar, desta forma você se coloca a favor do vento. Ao invés de uma fila de coisas paradas, você tem que ter uma fila de pessoas para somar. Se você sabe que outra pessoa pode fazer mais rápido, porque ela não está fazendo por você? A velocidade na realização de um objetivo dentro de uma empresa, não tem a ver com um, mas com todos.

TEMOS QUE APRENDER QUE LIDERAR É
DESPERTAR NO OUTRO A VONTADE DE FAZER.

Quando um líder não tem tempo para nada, já fico desconfiado. Está trazendo tudo para si e esquecendo de despertar no outro a vontade de fazer.

As lideranças que estão correndo atrás do tempo via de regra não tem vocação para aquele cargo ou estão mais interessadas em dominar a sua equipe, quando deveriam estar interessadas em conhecê-las e oportunizar experiências de desenvolvimento e crescimento.

Para finalizar, fica minha dica: tome cuidado com o vazio que é uma liderança ocupada demais com trabalho e não com a sua equipe. É melhor ser uma ovelha em um rebanho que todos trabalham para o bem de todos, do que ser um leão solitário.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *